Simulação da ONU

Um dos compromissos da Rede Jesuíta de Educação Básica (RJE) é formar cidadãos globais, que pensam soluções inovadoras e criativas para o mundo. Nesse contexto, desde 2014, estudantes do Ensino Médio do Colégio dos Jesuítas, acompanhados por educadores da instituição, são convidados a idealizar, organizar e executar as edições anuais da Simulação da Organização das Nações Unidas (ONU).

* Simulação da Organização das Nações Unidas (ONU)

 

Realizadas na perspectiva da ONU Intercolegial da RJE, as experiências de Simulação da ONU nos colégios da Rede têm o intuito de fomentar a aprendizagem dos estudantes sobre assuntos que envolvam o cenário internacional, proporcionando o prazer pelo saber e estimulando o senso crítico, a percepção e a lógica, sensibilizando-os para o compromisso com a escuta e o diálogo respeitoso.

 

* Simulação da Organização das Nações Unidas (ONU)

 

“A partir de debates e vivências sobre temas geopolíticos, de economia, de política, de cultura, de justiça socioambiental e de direitos humanos, os estudantes são interpelados ao desenvolvimento da sistematização conceitual, da liderança inaciana, da oratória, da empatia, do respeito à diversidade cultural, social e política bem como ao posicionamento crítico e responsável diante das discussões e da convivência humana”, explica o professor Paulo Henrique Cavalcanti, coordenador do Núcleo de Formação Integral (NUFI) e responsável pelo acompanhamento dos estudantes na Simulação em nosso Colégio.

* Simulação da Organização das Nações Unidas (ONU)

 

Além de estimular o protagonismo juvenil e contribuir para a formação integral dos estudantes, a Simulação (chamada, em nosso Colégio, de “Nações Unidas do Jesuítas – NUJe”) também aguça a criatividade dos jovens, ao colocá-los em contato com diversas culturas. No projeto, estudantes atuam como Delegados e representam diferentes países nos debates. Os jovens pesquisam e estudam previamente – em um processo iniciado meses antes do exercício de Simulação – sobre a cultura, a política e a economia dos respectivos países bem como sobre os temas propostos para os integrantes da Assembleia Geral (AG), do Conselho de Direitos Humanos (CDH) e do Conselho de Segurança (CS).

* Simulação da Organização das Nações Unidas (ONU)

 

A preparação dos participantes para as demais atividades do projeto também é intensa, acontecendo desde o primeiro semestre letivo e proporcionando o “desenvolvimento de habilidades e competências necessárias ao exercício da autonomia” (PEC RJE, n. 42). O projeto de Simulação da ONU está estruturado em duas esferas de participação. Além dos Delegados, os estudantes organizam-se em um “Núcleo” composto pela Mesa Diretora, pelos Comitês de Imprensa e de Cultura e pelo Staff:

 

  • Mesa Diretora – considerado o pilar da área acadêmica no projeto, os participantes da Mesa têm a função de organizar e mediar os debates (antes, durante e após a Simulação), além de decidirem os temas que serão abordados a cada ano, de elaborarem os Guias de Estudos e de apoiarem os Delegados durante o projeto. O grupo é composto por nove membros, divididos nos três espaços de debates (AG, CS e CDH);
  • Comitê de Imprensa – realiza a cobertura jornalística, colhendo, registrando e transmitindo informações. É fundamental durante a etapa primária da Simulação, quando os estudantes são convidados a participarem do projeto bem como na divulgação dos preparativos, mantendo os jovens informados sobre os acontecimentos, as datas e os prazos a serem cumpridos;
  • Comitê de Cultura – os estudantes preparam-se para apresentar as temáticas da Simulação, de modo artístico-crítico, aos demais participantes e espectadores. Sua missão é sensibilizar os Delegados à reflexão crítica por meio do teatro, da música, da dança e da poesia, mobilizando os jovens para os debates;
  • Staff – responsável por toda a movimentação, organização física e execução do projeto, o grupo possibilita que a infraestrutura e os locais das atividades estejam prontos para receberem os participantes, garantindo que a Simulação aconteça harmoniosamente e que o momento seja um espaço para a partilha de conhecimentos e aprendizagens.