Educação Bilíngue

Educação Bilíngue

 

Para a Companhia de Jesus, “Cidadãos Globais são aqueles que constantemente buscam aprofundar sua consciência de seu lugar e responsabilidade, local e global, em um mundo cada vez mais interconectado; aqueles que se solidarizam com os outros na busca de um planeta sustentável e um mundo mais humano, como verdadeiros companheiros na missão de reconciliação e justiça” (Cidadania Global: Uma Perspectiva Inaciana, 2019).

­

Em expressão de cuidado com essa perspectiva formativa, o Colégio dos Jesuítas inovou sua oferta de Educação Bilíngue a partir de um conjunto de iniciativas que tornarão ainda mais rica a caminhada formativa dos estudantes.

 

Entendendo que a educação para a cidadania global não deva ser apenas um complemento, mas sim estar integrada ao currículo central, o Colégio dos Jesuítas, por meio da parceria com a U-Education, implementou, no ano de 2022, a educação bilíngue com a metodologia “Content and Language Integrated Learning” (CLIL), que pode ser traduzida como “Aprendizagem Integrada de Conteúdo e Linguagem”. Entre os seus diferenciais, além dessa integração, estão o foco na aprendizagem cultural mais aprofundada e o uso de metodologias inovadoras.

 

O papel do ensino das línguas é o desenvolvimento de habilidades e competências que ampliam a atuação do(a) estudante no mundo. Ou seja, o papel da(s) língua(s) em um currículo bilíngue integrado vem atrelado à sua função no mundo real: comunicar e fazer coisas. E comunicar e fazer coisas, por sua vez, são tarefas inerentes a todos os componentes curriculares, gerando, assim, autonomia ao estudante, que adquire competências globais e culturais de uma cidadania global, proporcionada por uma educação bilíngue.

 

Dessa forma, o Ensino Fundamental I passa a contar com um trabalho de integração curricular, o qual possibilita aos aprendizes o desenvolvimento de competências diversas (que não apenas de língua, mas em língua), ampliando seus repertórios de saberes, culturas e de língua. Nesse segmento, a formação dos estudantes é empreendida por meio da língua portuguesa, bem como em língua inglesa, em certos tempos de aula e alinhada às temáticas, aprofundando as aprendizagens. Além disso, em uma educação bilíngue comprometida com o respeito à diversidade e à interculturalidade, os aprendizes utilizam as línguas como forma de se fazerem entender e de entender o outro, respeitando as diferentes manifestações culturais.

 

Já o Ensino Fundamental II, com vistas à continuidade da experiência multicultural e linguística, mas robustecendo a apropriação da língua adicional, recebe uma proposta de trabalho que, a partir dos temas inter/multidisciplinares, oferece conhecimento específico em língua inglesa, ampliando o repertório tanto cultural quanto linguístico dos estudantes. Há, ainda, nos anos finais do Ensino Fundamental II e nos anos iniciais do Ensino Médio, o contato com a língua espanhola, correspondendo à perspectiva de formação para a cidadania global.

 

Nas aulas, são estabelecidos períodos específicos para o desenvolvimento de competências linguísticas nas línguas adicionais. Isso não significa, por exemplo, que a aprendizagem se limitará a esses momentos ou, ainda, ao ensino da língua pela língua (em uma perspectiva de não integração). Pelo contrário, a ideia do planejamento integrado permite que os/as professores/as façam combinações estratégicas, articulando as aulas de língua adicional às temáticas e atividades trabalhadas nas demais aulas e componentes.

 

As inovações desenvolvidas no campo da Educação Bilíngue visam ao aprimoramento do trabalho formativo e, outrossim, à execução da proposta da missão educativa da Companhia de Jesus, expressa na obra Colégios Jesuítas: uma tradição viva no século XXI: Queremos que nossos estudantes reconheçam, valorizem e celebrem sua comunidade, tradição e cultura locais e, ao mesmo tempo, sejam capazes de se comunicar, trabalhar e se identificar com outros membros de nossa comunidade global.