PISM 2022: Equilíbrio é palavra-chave para estudantes nos dias anteriores às provas

 

As provas do Programa de Ingresso Seletivo Misto (PISM) 2022 da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) serão aplicadas no sábado e no domingo, dias 5 e 6 de fevereiro.

 

Os dias anteriores às provas costumam ser de grande expectativa e ansiedade para os(as) estudantes. Afinal, depois de muitos meses de preparação para as avaliações, finalmente o grande momento está chegando.

 

Em entrevista à Rádio Catedral de Juiz de Fora, o professor do Colégio dos Jesuítas Wanderluce Gonçalves de Paula Gomes deu algumas dicas para os jovens passarem por essa etapa com calma e sucesso.

 

Confira o que o professor recomendou! Já adiantamos que uma das orientações é manter o equilíbrio entre revisão, leitura e descanso.

Covid-19: Colégio dos Jesuítas será ponto de vacinação de crianças e adultos

 

A partir desta terça-feira (25), o Colégio dos Jesuítas será um dos locais de aplicação de vacinas contra a covid-19 em Juiz de Fora. A vacinação das crianças será realizada das 8h às 11h e a dos adultos, das 13h às 16h. O ponto vai funcionar de segunda a sexta-feira no hall do Auditório Padre Oliveira, no interior do Colégio.

 

Para a vacinação pediátrica, a Secretaria de Saúde da Prefeitura de Juiz de Fora solicita que sejam levados os seguintes documentos: cópia do comprovante de residência em nome dos pais ou responsáveis com endereço em Juiz de Fora, cópia do CPF e do cartão SUS (se a criança não tiver esses documentos, é indicado levar cópia da certidão de nascimento). Se possível, é recomendado levar impresso o formulário que pode ser acessado no hotsite da PJF sobre a covid-19. Nesse mesmo hotsite, é possível fazer o pré-cadastro da vacinação.

 

Para crianças com comorbidades, também será necessário levar original e cópia de atestado ou laudo médico. As cópias serão retidas.

 

Confira o calendário da vacinação pediátrica:

 

25 de janeiro: 10 anos

 

26 e 27 de janeiro: 9 anos

 

28 e 31 de janeiro: 8 anos

 

1º e 02 de fevereiro: 7 anos

 

03 e 04 de fevereiro: 6 anos

 

07 e 08 de fevereiro: 5 anos

 

Intervalo de vacinas

Ainda de acordo com a Prefeitura de Juiz de Fora, as crianças que se vacinarem contra a covid-19 não podem ter tomado outro imunizante 15 dias antes, nem tomarem outra vacina nos 15 dias posteriores à aplicação da primeira dose contra o coronavírus. Também é necessário que a criança permaneça no local de vacinação entre 5 e 20 minutos após a aplicação, para a observação de possíveis reações.

 

O Colégio dos Jesuítas disponibilizará os assentos em que as crianças e seus responsáveis poderão aguardar no período determinado.

Campanha da Fraternidade 2022: Educação é o tema central

 

A Campanha da Fraternidade 2022 terá a educação como tópico central. “Fraternidade e Educação” será o tema oficial da campanha, que contará com o lema “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31, 26). A CF é organizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e terá início na abertura da Quaresma, dia 2 de março, Quarta-Feira de Cinzas.

 

A proposta, nesta edição da Campanha da Fraternidade, é promover um diálogo sobre a educação, à luz da fé cristã, além de propor caminhos em direção a um humanismo total e solidário. Outro objetivo da Campanha é criar um clima de reflexão sobre o papel da família, da comunidade de fé e de toda a sociedade no processo educativo, em colaboração com as instituições de ensino.

 

A dignidade humana e o cuidado com o planeta Terra, nossa Casa Comum, também são prioridade, por meio do debate em torno de propostas educativas que promovam esses valores.

 

Em um momento em que os desafios em torno da educação se tornaram ainda mais profundos, com a pandemia da covid-19, a ideia é olhar para o tema de forma integral.

 

Cartaz da Campanha mostra Jesus Educador
O cartaz da Campanha da Fraternidade representa uma passagem da Bíblia Sagrada. A ilustração mostra uma mulher que foi flagrada em adultério, prestes a ser punida com o apedrejamento. Cristo aproxima-se da mulher e escreve na terra um ensinamento para ela. O conteúdo da mensagem escrita é desconhecido. Ao final, Jesus disse à mulher: “Vá e não peques mais”. O autor da imagem retirou as palavras “amor e sabedoria” do lema da Campanha: “Fala com sabedoria, ensina com amor” (Pr 31, 26).

 

Essa é a terceira vez em que a educação é tema de uma Campanha da Fraternidade. As outras ocasiões foram em 1982 e 1998, nas quais os lemas eram “A verdade vos libertará” e “A serviço da vida e da esperança” respectivamente. A CF é realizada anualmente desde 1964.

 

Confira outras informações sobre a Campanha da Fraternidade 2022 no hotsite hospedado no portal da CNBB.

Estudante do Colégio dos Jesuítas vence competição nacional com projeto de app para o tratamento de paralisia facial

 

A equipe da estudante recém-formada no Colégio dos Jesuítas Mirella Diniz Wunderlich foi a campeã na Olimpíada do Futuro – Sapientia. O grupo apresentou a proposta do aplicativo Sorria!, destinado ao tratamento de pessoas com paralisia facial, de forma democrática e acessível. Em 06 de dezembro, Mirella foi até Brasília para receber a medalha de ouro das mãos do ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes, em evento da 18º Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT). Na ocasião, os ganhadores de Olimpíadas Científicas receberam as medalhas e os certificados.

 

Convidada a falar sobre a iniciativa, Mirella relembrou que a ideia de criar o aplicativo nasceu a partir de uma história pessoal: a mãe e o pai da jovem tiveram episódios de paralisia facial, após passarem por cirurgias para a retirada de glândulas salivares, em 2012 e 2017, respectivamente. Na Olimpíada, a estudante teve a oportunidade de colocar em prática a vontade de criar um projeto de impacto social direcionado a ajudar pessoas que passam pelo mesmo problema que seus pais tiveram.

 

“Hoje em dia não existe uma solução viável, de baixo custo, de fácil acesso. É um tratamento muito difícil, é muito complicado. Então esse nosso projeto dentro da Sapientia, surge com essa vontade de trazer um impacto social, aliado a experiências pessoais que tivemos”, conta.

 

A estudante espera que o bom resultado alcançado por ela e seu grupo possa servir de inspiração para outros jovens se engajarem e criarem novos projetos que resultem em benefícios para a sociedade. Por fim, Mirella ressaltou que “é uma honra enorme, tanto como brasileira, quanto como menina, mulher, estar aqui representando esse conceito e esse valor, tanto para minha escola, quanto para o meu estado e o meu país.”

 

Confira a cerimônia na 18ª Semana Nacional de Ciência e Tecnologia:

 

Inteligência artificial e parcerias para aumentar o alcance 

Pela proposta do app Sorria!, o paciente poderá fazer exercícios direcionados a cada estágio e tipo de paralisia, por meio do acompanhamento de vídeos instrutivos com profissionais especializados, como fisioterapeutas faciais. O algoritmo de inteligência artificial será responsável por corrigir os movimentos feitos pelos usuários, por meio da tecnologia de reconhecimento facial. Cada paciente terá um cronograma personalizado. O aplicativo terá também um sistema de recompensa para estimular a continuidade e a frequência diária de exercícios.

 

Segundo a estudante Mirella Wunderlich, um dos pilares do projeto é o acesso democrático ao aplicativo. “A gente tem como meta o acesso a baixo custo, dessa forma, todo o acesso primário ao aplicativo será gratuito. Como forma de monetização, contamos, principalmente, com propagandas e compras dentro do app. Então o usuário poderá ter, por exemplo, um upgrade dentro do aplicativo, de acordo com sua vontade. Mas o uso primário é completamente gratuito”, conta a estudante, que também prevê parcerias com hospitais, seguros e planos de saúde, com o objetivo de levar o serviço a mais pacientes e gerar viabilidade financeira para a empreitada.

 

A parte da “modelagem financeira” foi uma das partes da proposta a receberem elogios na fase final. Segundo Mirella, os jurados “falaram que nossa apresentação do projeto era quase um plano de negócios, que estava muito bem estruturada. Eles elogiaram muito a nossa conexão pessoal com o problema e a atenção que a gente deu para uma questão que normalmente não é abordada, passa muito despercebida.”

 

Além de Mirella Wunderlich, a equipe vencedora teve outros quatro membros, residentes em Belo Horizonte, Fortaleza, São Paulo e São José dos Campos (SP). Mirella ocupou a função de Chief Tecnology Officer (CTO), ou seja, foi a diretora técnica da equipe.

 

Série de títulos 

A possibilidade de participar da Olimpíada do Futuro surgiu para Mirella e para os outros integrantes de seu grupo, após os resultados positivos conquistados pelos estudantes na edição 2021 da Olimpíada Brasileira de Economia (OBECON). Nesta competição, a jovem foi medalhista de prata e a representante do sexo feminino com o melhor desempenho, o que lhe rendeu um outro título, o de “Menina Olímpica”. O desempenho de Mirella na OBECON foi destacado pelo Diretor do Departamento de Promoção e Difusão da Ciência, Tecnologia e Inovação do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovações (MCTI), Daniel Lavouras, no evento de entrega das medalhas realizado em Brasília.

 

Mirella Wunderlich também já foi 1º lugar na América Latina na Tiger Global Case Competition (TGCC), certame de empreendedorismo internacional on-line entre jovens de 13 e 18 anos, e teve o Melhor Business Case da IEO Open Track, uma versão da Olimpíada Internacional de Economia.

 

Confira o site do aplicativo Sorria! e o vídeo oficial de apresentação:

Pe. Sérgio Eduardo Mariucci, SJ, toma posse como novo reitor da Unisinos

Pe. Sérgio Mariucci: Unisinos buscará sempre “o horizonte do rigor científico”. Foto: Rodrigo Blum/Divulgação Unisinos

 

O secretário para Educação da Província dos Jesuítas do Brasil e antigo Diretor Geral do Colégio dos Jesuítas, Pe. Sérgio Eduardo Mariucci, SJ, tomou posse como reitor da Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) nesta terça-feira (04). Pe. Sérgio assume a reitoria, após o Pe. Marcelo Fernandes de Aquino, SJ, ter atuado como reitor ao longo de quatro mandatos (2006-2021), e, como vice-reitor, em um mandato (2002-2005). A cerimônia de posse aconteceu no Anfiteatro Padre Werner, campus de São Leopoldo (RS). A Unisinos é uma instituição jesuíta de ensino superior, com dois campi no Rio Grande do Sul (Porto Alegre e São Leopoldo), além de polos EAD em sete estados.

 

O jesuíta chamou atenção para os problemas nacionais na área da Educação e afirmou que “quase não saímos da meta de erradicar o analfabetismo”.

 

“Carecemos de um projeto de país que consolide a democracia e traga ciclos estáveis de desenvolvimento sustentável. Um projeto de país para o Brasil ainda está por ser escrito. Acertar os ponteiros do tempo da história do Brasil é incluir as periferias e garantir às juventudes a oportunidade de escreverem o que falta para sermos gigantes pela própria natureza”.

 

Pe. Sérgio afirmou que assume a reitoria em um momento ao mesmo tempo “promissor e ameaçador”. Segundo o jesuíta, promissor, entre outros motivos, pelo consenso de que a ciência é fundamental para a humanidade e de que as vacinas contra a covid-19 são evidências do progresso da ciência e da humanidade, contestadas apenas por “aqueles vitimados por algo que se parece com outro vírus, cuja enfermidade é a eclipse da razão”. E salientou que a Unisinos buscará sempre “o horizonte do rigor científico, da excelência humana e acadêmica e da responsabilidade socioambiental”.

 

Entre as ameaças, segundo Pe. Sérgio, está o vácuo de lideranças inspiradoras capazes de fazer a sociedade ter confiança nas instituições públicas e esperança de paz e prosperidade. “Todos precisamos da boa política e de boas lideranças capazes de agregar em torno de um projeto para o país”, afirmou o reitor, que também manifestou preocupação com a “criminalização da política”.

 

O discurso de posse abordou ainda a questão do papel do ensino na luta contra diversos tipos de opressão: “É também por meio da educação que o racismo precisa ser combatido, assim como a homofobia, o machismo e todos os vieses supremacistas. A educação é também ambiente propício para fortalecer a cultura de prevenção e cuidado contra qualquer forma de abuso, sobretudo aos menores de idade”, disse.

 

Pe. Sérgio Eduardo Mariucci, SJ, é natural de Maringá (PR) e foi professor e pesquisador colaborador do Programa de Pós-Graduação em Design e diretor da Unidade Acadêmica de Graduação da Unisinos, antes de assumir a reitoria da instituição. Como vice-reitor para o período 2022-2025, foi nomeado o professor Artur Eugênio Jacobus, que já atuou como docente da graduação e coordenador do Mestrado Profissional em Gestão Educacional.

 

Presença do Provincial

O Provincial dos Jesuítas no Brasil, Pe. Mieczyslaw Smyda, SJ, também esteve presente na cerimônia de posse e manifestou a sua alegria em participar de um momento importante para a Unisinos e para a Companhia de Jesus, na ocasião em que a ordem celebra os 500 anos da conversão de seu fundador, Santo Inácio de Loyola. A celebração, chamada de Ano Inaciano, tem como tema “Ver novas todas as coisas em Cristo”.

 

“O apostolado intelectual na Companhia, por meio de suas universidades presentes em diversos países, é um caminho que contribui com este convite de ver novas todas as coisas, fazendo-se um espaço onde particular e universal se encontram”, destacou. Além disso, em seu discurso, o Pe. Smyda agradeceu ao antigo reitor, Pe. Marcelo Fernandes de Aquino, SJ, e ao reitor recém-empossado, Pe. Sérgio Mariucci, SJ.

 

Pe. Marcelo Fernandes de Aquino, SJ, também falou aos convidados no Anfiteatro Padre Werner. O jesuíta disse que, onde estiver, a Unisinos estará com ele e destacou a importância de valores como gratidão, confiança, compaixão e coragem. “Sem um vínculo de afeto, não existe humanidade, existe horda. E, infelizmente, nós corremos o risco, no nosso Brasil, de regredirmos à horda sem um princípio de unificação dos nossos sonhos, das nossas dúvidas, das nossas alegrias, do nosso compromisso de deixar para os filhos e para os netos, um mundo melhor”.

 

Assista à cerimônia de posse no canal da Unisinos no YouTube.

Estudante vencedora na Olimpíada do Futuro visita prefeita de Juiz de Fora

 

A estudante recém-formada no Colégio dos Jesuítas Mirella Diniz Wunderlich visitou a prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão na tarde dessa sexta-feira (17). O assunto principal do encontro foi a conquista de Mirella e de sua equipe na Olimpíada do Futuro – Sapientia. Para o concurso, que reuniu estudantes do Brasil e do exterior, o grupo desenvolveu a proposta do aplicativo Sorria!, destinado ao tratamento de pessoas com paralisia facial, de forma acessível e democrática. Junto com a jovem, estava um de seus parceiros de equipe, o estudante Matheus Melo, de Belo Horizonte. A conversa aconteceu na sede da Prefeitura de Juiz de Fora.

 

A antiga estudante contou como foi o desenvolvimento da proposta do app, a partir da afinidade dos integrantes de sua equipe com a tecnologia. Além de Mirella e de Matheus, o grupo é formado por outros três jovens, residentes nas cidades de Fortaleza, São Paulo e São José dos Campos (SP). Toda a equipe foi convidada a participar da Sapientia após ter obtido bons resultados na Olimpíada Brasileira de Economia (OBECON). Nessa competição, Mirella Wunderlich obteve a medalha de prata e o título de “Menina Olímpica”, por ter conseguido o melhor resultado feminino do certame.

 

 

Durante o encontro com a prefeita, Mirella também relembrou a sua conexão familiar com o tema da paralisia facial. Tanto a mãe quanto o pai da jovem tiveram episódios de paralisia facial nos anos de 2012 e 2017, respectivamente, após passarem por cirurgias para a retirada de glândulas salivares. Essas experiências motivaram Mirella a desenvolver algum projeto em prol das pessoas com a doença, oportunidade que surgiu através da participação na Olimpíada do Futuro. Na competição, os participantes precisam criar projetos de impacto social.

 

A prefeita de Juiz de Fora, Margarida Salomão, cumprimentou os jovens pela conquista. Para a chefe do Executivo Municipal, o resultado alcançado pela estudante juiz-forana é um motivo de “muito orgulho” para a cidade: “E eu na condição de prefeita fiz questão de dizer isso a eles diretamente. Essa é uma grande vocação da cidade, encontrar duas pessoas tão talentosas, criativas, empenhadas, sensíveis à questão social é realmente um alento para nós”, afirmou a prefeita.

 

“Seu Imposto de Renda pode ser Educação e Esperança”: Saiba como ajudar instituição que integra o braço social da Companhia de Jesus

 

Está em circulação a campanha “Seu Imposto de Renda pode ser Educação e Esperança”, para arrecadar doações a partir do IR de pessoas físicas, essas quantias serão destinadas para a Fundação Fé e Alegria. A instituição tem o compromisso de levar promoção social e educação integral a crianças, adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade social. A doação realizada poderá ser descontada posteriormente no IR (até 6% do imposto devido).

 

Com 40 anos de atividades em solo brasileiro, a Fundação Fé e Alegria é um movimento integrante da Federação Internacional de Fé e Alegria e da Companhia de Jesus. A Fundação está presente em 14 estados do Brasil, assistindo a oito mil pessoas.

 

Dois projetos sociais do Fé e Alegria localizados nas cidades mineiras de Santa Luzia e Montes Claros, além de outro, na cidade de São Paulo, estão aptos a participarem da campanha. Apenas iniciativas aprovadas pelos órgãos competentes podem receber a doação do IR. É preciso comprovar a capacidade técnica e ter uma gestão transparente.

 

Como doar?

Para fazer a sua doação, é necessário acessar o site oficial da campanha. Lá, o usuário pode conhecer e selecionar os projetos que quiser apoiar e fazer a simulação do Imposto de Renda. A simulação serve para a pessoa descobrir se pode usar o próprio IR e qual o seu potencial de doação. Após o resultado da simulação, o doador pode escolher a forma de pagamento mais conveniente – pix, cartão de crédito ou boleto bancário. A doação pelo pix poderá ser feita até o dia 28 de dezembro. Já as doações em cartão de crédito e boleto bancário poderão ser feitas até 27 de dezembro.

 

Quem efetuar a doação receberá um recibo a partir de janeiro de 2022, junto com um informe de doações com as devidas instruções para declarar a quantia destinada à campanha. Depois, a pessoa precisa apenas esperar o retorno do valor da doação, através de restituição do total pago ou de redução do saldo a pagar do Imposto de Renda.

 

No campo de doação, também é possível realizar uma doação direta à Fundação Fé e Alegria do Brasil. Assista ao vídeo da campanha para obter outras informações.

 

Semana especial: Ano letivo 2021 finalizado com emoção e alegria

 

A última semana de aulas do ano de 2021 no Colégio dos Jesuítas, entre os dias 6 e 10 de dezembro, foi repleta de episódios especiais e de despedidas neste período de encerramento do ano letivo. Foram momentos de solidariedade e cuidado com o irmão, fé, devoção e de renovar a esperança para o próximo ano.

 

A quarta-feira (08) foi marcada pelos festejos pelo Dia de Nossa Senhora da Imaculada Conceição, padroeira do Colégio. Durante a tarde, as crianças e os estudantes da Unidade I (turmas do Maternal III ao 2º ano do Ensino Fundamental) e colaboradores dos corpos docente e administrativo participaram de um momento de fé e devoção realizado no ginásio poliesportivo do Colégio.

 

As crianças e os estudantes depositaram flores e outros presentes aos pés da imagem da Imaculada Conceição, que foi conduzida até o altar especialmente posicionado no ginásio.

 

 

O Diretor Acadêmico, Pe. José Robson Silva Sousa, SJ, fez uma oração especial junto a todos os presentes.

 

Durante a noite, uma Celebração Eucarística reuniu os colaboradores do Colégio. Foram celebradas a nova Missão formativa do atual Diretor Acadêmico, Pe. José Robson Silva Sousa, SJ; a nova Missão de gestão estratégica do futuro Diretor Acadêmico, Professor Welerson Spada e a nova Missão de gestão da Professora Josiane de Souza Paiva, como futura Coordenadora da Unidade III.

 

Na missa, o Pe. Robson agradeceu à toda a comunidade educativa pelo carinho e cuidado. Ele também fez seus agradecimentos em nome da Companhia de Jesus e destacou que o seu coração de pastor foi formado na comunidade do Colégio dos Jesuítas.

 

O Diretor Geral, Professor Edelves Rosa Luna, agradeceu ao Pe. Robson pelos seus anos na comunidade e estendeu seus agradecimentos aos colaboradores, que foram qualificados como uma comunidade “vocacionada” em seu trabalho. O Diretor Geral também destacou que 2021 foi um ano de muito trabalho e ressaltou que a transição na área de gestão do Colégio acontecerá de forma tranquila e serena, com continuidade dos processos.

 

 

A cerimônia foi finalizada com um momento marcado pela emoção: o InaciArtes, grupo artístico do Colégio, rendeu uma homenagem especial ao Pe. José Robson Sousa Silva, SJ.

 

Natal de solidariedade e cuidado com o próximo

Na terça-feira (07), a chegada do Papai Noel ao Colégio reuniu as crianças e os estudantes da Unidade I em mais um momento de solidariedade. As famílias foram convidadas a providenciarem presentes (devidamente embrulhados e identificados) para os jovens doarem ao Bom Velhinho.

 

 

Os presentes serão destinados a instituições apadrinhadas pelo Colégio. O objetivo da festa foi celebrar o grande aniversariante da data, que é Jesus Cristo, e seus ensinamentos de amor ao próximo e de cuidado com o outro.

 

Confraternização e despedida da 3ª série do Ensino Médio

Os(as) estudantes da 3ª série do Ensino Médio estão dando adeus ao ano de 2021 e, também, ao Colégio dos Jesuítas, já que estão no último estágio da Educação Básica.

 

 

Para celebrar este momento, a semana especial contou, ainda, com atividades especialmente planejadas para as turmas do chamado “Terceirão”. Entre os dias 7 e 10 de dezembro, os(as) jovens realizaram atividades recreativas especiais, com brincadeiras e dinâmicas esportivas na piscina e nas quadras. Além disso, na manhã de sexta-feira (10) aconteceu a tradicional despedida da 3ª série/EM, com muita música, batuque e confetes para celebrar o fim de uma etapa fundamental, a da formação escolar e humanística do Colégio dos Jesuítas.

 

 

 

Os usos políticos do passado e os porquês de estudar História

 

A História não está pronta, ela não é fixa, pois não existe uma verdade absoluta, uma vez que sofre uma reescrita constante. A História é uma disciplina que procura responder às principais perguntas do presente e, nessa conjuntura, são extremamente relevantes os diversos olhares para o passado que abrem os espaços de lutas de memória. É nesse sentido que, para o nosso início de conversa, destaco um ponto de partida essencial de que o passado é tão misterioso quanto o futuro. As narrativas construídas dependem das apropriações que foram feitas e dos interesses dos sujeitos históricos em seus diversos tempos e espaços. Percorreremos aqui o caminho de alertar a todos e todas sobre os usos políticos do passado para depois mergulharmos mais fortemente sobre os motivos essenciais de estudarmos História.

 

 

Os usos políticos do passado devem ser avaliados, porque não existe neutralidade científica, já que os atores sociais interpretam o passado de acordo com os seus propósitos. É preciso ter esse cuidado ao revisitar as memórias, que, na maior parte das vezes, são marcadas por lembranças e esquecimentos. Nessa linha de raciocínio, costuma-se exaltar aquilo que é mais conveniente no jogo de interesses e apaga-se o que se elegeu que não deve ser lembrado.

 

 

Uma das formas de aprofundarmos o conhecimento histórico é a interdisciplinaridade. Estudar História tem mais sentido quando o conhecimento é interconectado, formando uma teia de possibilidades de relações entre os elementos pesquisados. Como dissera Marc Bloch, é essencial estudar a história dos homens no tempo, e não apenas de fatos estanques e impermeáveis. Nesse aspecto, é importante lembrar como se relaciona a história ao homem e ao tempo e como visualizam os seus ídolos, e o que se entende por passado e presente. A partir daí, poderemos perceber melhor as apropriações políticas do passado.

 

 

Uma maneira interessante de estudar História consiste em legitimar vozes que não foram ouvidas. É reconhecer que a História também é vista de baixo, porque ajuda a convencer aqueles de nós nascidos, sem colheres de prata, de que viemos de algum lugar. É justamente nesses lugares onde as identidades foram escondidas que poderemos escavar a busca de outras narrativas que ainda não conhecemos, inclusive de pessoas comuns, que quase sempre foram relegadas pela História dita oficial e supostamente portadora da verdade.

 

 

Portanto, mergulhando mais profundamente na pergunta essencial aqui “Por que estudar História?”, reitero a importância de não só olhar, porém reparar com detalhes a realidade, decodificar os problemas que o mundo nos mostra e apresentar alternativas, que não proclamem o fim da História, mas uma eterna possibilidade de criação e reconstrução de trilhas, as quais possam levar os homens a vislumbrarem formas de admirarem os diversos projetos de vida.

 

 

Estudar História é se debruçar sobre as questões de cidadania e inclusão social, é pensar na alteridade e empatia para a construção de um mundo melhor. Nesse sentido, torna-se evidente, na contemporaneidade, a importância da História para garantir a permanência de conquistas sociais como democracia, direitos humanos e respeito às minorias. A História nos possibilita compreender melhor o papel do homem enquanto animal político, um ser dotado de inclinações culturais e sociais, que ultrapassam o individualismo.

 

 

De forma geral, a História nos faz construir o conhecimento e produzir ações de cidadania capazes de transformar as vidas humanas nos seus reconhecimentos de estórias, legitimidade de narrativas e de lugares de fala dando vozes àqueles que foram pouco escutados ao longo do tempo, reescrevendo trajetos e possibilidades novas.

 

Bibliografia:

BURKE, Peter. A escrita da História, novas perspectivas. São Paulo. Editora da Universidade Estadual Paulista, 1992.

 

 

______. A Escola dos Annales: 1929-1989. A Revolução Francesa da historiografia. São Paulo: Editora Unesp, 1997.

 

 

WHITE, Hayden. O fardo da história. In:_. Trópicos do discurso: ensaios sobre a crítica da cultura. São Paulo: Edusp, 1994.

 

 

https://www.cafehistoria.com.br/o-que-sao-usos-politicos-do-passado/.

 

Por Leandro de Almeida Silva
Professor

Professor Welerson Spada é nomeado novo Diretor Acadêmico do Colégio dos Jesuítas

Da esquerda para a direita: o Coordenador da Unidade III e Diretor Acadêmico nomeado, Professor Welerson Spada; o Diretor Acadêmico, Pe. José Robson Silva Sousa, SJ e a Assessora Pedagógica e Coordenadora nomeada da Unidade III, Professora Josiane de Souza Paiva (Foto: Rodrigo Tagliate).

 

O Diretor Geral do Colégio dos Jesuítas, Professor Edelves Rosa Luna, anunciou a sucessão na Direção Acadêmica do Colégio em comunicado divulgado nesta segunda-feira (06). O Pe. José Robson Silva Sousa, SJ, dará continuidade à sua formação e, em seu lugar, entrará o atual Coordenador da Unidade III, Professor Welerson Mazzo Spada. A atual Assessora Pedagógica, Professora Josiane de Souza Paiva, será a nova Coordenadora da Unidade III. As mudanças entrarão em vigor a partir do Ano Letivo 2022.

 

No comunicado dirigido à comunidade educativa, o Diretor Geral destacou a trajetória do Pe. Robson e ressaltou que os jesuítas, como são chamados os membros da Companhia de Jesus, passam por longa e sólida formação em diversos níveis, como acadêmico, social, espiritual e humano. A convocação a novos desafios é parte integrante dessa formação, por isso, de tempo em tempo, os jesuítas recebem uma nova Missão, bem como são chamados a continuarem sua formação em prol da excelência ofertada pela Companhia de Jesus em todos os campos em que atuam.

 

Assim, ao final do primeiro trimestre de 2022, o Pe. José Robson Silva Sousa, SJ, partirá para uma nova etapa de sua formação como jesuíta e deixará as funções de Diretor Acadêmico do Colégio dos Jesuítas no encerramento das atividades letivas de 2021. O Pe. Robson é parte da comunidade educativa do Colégio há seis anos, três deles na Direção Acadêmica.

 

“Missão, no modo de proceder da Companhia, carrega, em sua essência, a sucessão, tanto para os jesuítas, quanto para os colaboradores. Somos, como comunidade educativa, agradecidos a Deus por este momento de transição, que é dom e reconhecimento tanto ao jesuíta, quanto ao colaborador na e em missão. Sou grato pelo dom da missão exercida neste período. Grato pelo dom da Josi e do Welerson, que são oferecidos à Companhia de Jesus nessa Missão”, afirmou o Pe. Robson, que também agradeceu à Companhia pela confiança e cuidado e à comunidade educativa do Colégio dos Jesuítas pelo “cuidado e amorosa acolhida”.

 

“Sou filho deste Colégio”

O Professor Welerson Mazzo Spada é mestre em Gestão Educacional pela Universidade do Vale do Rio dos Sinos (Unisinos) e atua como colaborador do Colégio dos Jesuítas há duas décadas. O comunicado reitera que o professor conhece bem a comunidade educativa, seus processos e dinâmicas e colaborará fortemente na consolidação de importantes processos, com foco na formação integral e excelência acadêmica.

 

Ainda de acordo com o comunicado do Diretor Geral, Professor Edelves Rosa Luna, o nome do Professor Welerson Mazzo Spada foi escolhido para a Direção Acadêmica após um processo de escuta e discernimento. Esse processo foi liderado pelo Diretor Presidente da Rede Jesuíta de Educação, Ir. Raimundo Barros, SJ, em diálogo com a Equipe Diretiva do Colégio e o Secretário para Educação da Província dos Jesuítas do Brasil, Pe. Sérgio Eduardo Mariucci, SJ.

 

Segundo o Professor Spada, a notícia da nomeação foi recebida com grande alegria. “Posso dizer que sou filho deste Colégio, pois por aqui iniciei minha carreira de educador. No Colégio dos Jesuítas, aprendi que educação é algo que se faz na perspectiva da integralidade, pois são muitas as competências e as habilidades que necessitam ser desenvolvidas para que atuemos bem e de forma propositiva na sociedade na qual vivemos.”

 

O professor conta também que tem consciência da responsabilidade (“enorme”) e dos grandes desafios, contudo está confiante de que não estará só no caminho e seguirá apoiado pela Rede Jesuíta de Educação e por quem faz do Colégio dos Jesuítas um grande centro de aprendizagem. “Nesse sentido, destaco a competência, a experiência e o zelo no trabalho que é desempenhado pelo Professor Edelves Rosa Luna, Diretor Geral, e por Mauro Fortunato, Diretor Administrativo. Quanto à equipe do acadêmico, o entendimento não é diferente. O legado deixado pela gestão do Padre Robson merece destaque, especialmente por compreender que um bom gestor deve estar sempre atento ao que acontece no âmbito da comunidade, e que as decisões são mais acertadas quando a escuta é ampliada”, afirma. Além disso, agradece aos professores Amanda Reis dos Santos e Rafael Bellei, coordenadores das Unidades I e II, respectivamente; ao Coordenador da Formação Cristã, Marcelo Sabino; à Assessora Pedagógica e Coordenadora nomeada da Unidade III, Josiane Paiva; e aos colaboradores da Unidade III e demais docentes.

 

“Aos estudantes, razão do nosso existir, e aos seus familiares, digo que a equipe acadêmica seguirá atenta e perseverante na busca do Magis, respeitando o que é próprio de cada um e trabalhando sempre pelo bem de todos”, finaliza o professor Welerson Spada.

 

A gestão da Unidade III será assumida pela atual Assessora Pedagógica, Professora Josiane de Souza Paiva. Ela começou sua trajetória no Colégio dos Jesuítas em 2011, como professora regente. Em 2016, tornou-se Coordenadora de Série. E, em 2018, passou para a Assessoria Pedagógica, a convite do Pe. José Robson Silva Sousa, SJ. Nessa função, a professora leva a sua experiência da sala de aula até a gestão educacional.

 

Segundo a professora, o sentimento é de gratidão pelas oportunidades concedidas na gestão do Colégio e o investimento feito pela Rede Jesuíta de Educação em sua formação profissional: atualmente, a Professora Josiane Paiva faz parte da primeira turma, da RJE, de Doutorado em Educação pela Unisinos. Ela ressalta o desafio ao assumir a Coordenação da Unidade III e a alegria com a novidade.

 

“Recebo essa nova missão com muita alegria, com muito ânimo e com muita gratidão. Sei que lá existem pessoas que conhecem aquele espaço, que conhecem a dinâmica de funcionamento da Unidade em uma perspectiva diferente da minha. Estive junto com o Pe. Robson e com a equipe quando nós fizemos toda a concepção do que seriam as Coordenações de Unidade, mas ainda não tivera a oportunidade de atuar em uma delas. Por isso, para mim, é um desafio que encaro com muita alegria”, finaliza.

 

Para celebrar com gratidão o ano letivo que se encerra e rogar a Deus bençãos para as novas missões, os colaboradores do Colégio dos Jesuítas se reunirão na Capela do Colégio, nesta quarta-feira, dia 08/12, às 19h, em missa de ação de graças.

 

Colégio dos Jesuítas, tradição viva em educar para o futuro!