“Seu Imposto de Renda pode ser Educação e Esperança”: Saiba como ajudar instituição que integra o braço social da Companhia de Jesus

 

Está em circulação a campanha “Seu Imposto de Renda pode ser Educação e Esperança”, para arrecadar doações a partir do IR de pessoas físicas, essas quantias serão destinadas para a Fundação Fé e Alegria. A instituição tem o compromisso de levar promoção social e educação integral a crianças, adolescentes e adultos em situação de vulnerabilidade social. A doação realizada poderá ser descontada posteriormente no IR (até 6% do imposto devido).

 

Com 40 anos de atividades em solo brasileiro, a Fundação Fé e Alegria é um movimento integrante da Federação Internacional de Fé e Alegria e da Companhia de Jesus. A Fundação está presente em 14 estados do Brasil, assistindo a oito mil pessoas.

 

Dois projetos sociais do Fé e Alegria localizados nas cidades mineiras de Santa Luzia e Montes Claros, além de outro, na cidade de São Paulo, estão aptos a participarem da campanha. Apenas iniciativas aprovadas pelos órgãos competentes podem receber a doação do IR. É preciso comprovar a capacidade técnica e ter uma gestão transparente.

 

Como doar?

Para fazer a sua doação, é necessário acessar o site oficial da campanha. Lá, o usuário pode conhecer e selecionar os projetos que quiser apoiar e fazer a simulação do Imposto de Renda. A simulação serve para a pessoa descobrir se pode usar o próprio IR e qual o seu potencial de doação. Após o resultado da simulação, o doador pode escolher a forma de pagamento mais conveniente – pix, cartão de crédito ou boleto bancário. A doação pelo pix poderá ser feita até o dia 28 de dezembro. Já as doações em cartão de crédito e boleto bancário poderão ser feitas até 27 de dezembro.

 

Quem efetuar a doação receberá um recibo a partir de janeiro de 2022, junto com um informe de doações com as devidas instruções para declarar a quantia destinada à campanha. Depois, a pessoa precisa apenas esperar o retorno do valor da doação, através de restituição do total pago ou de redução do saldo a pagar do Imposto de Renda.

 

No campo de doação, também é possível realizar uma doação direta à Fundação Fé e Alegria do Brasil. Assista ao vídeo da campanha para obter outras informações.

 

Dia Mundial do Doador de Medula Óssea

 

No terceiro sábado do mês de setembro, será o Dia Mundial do Doador de Medula Óssea. A data sinaliza a importância e a urgência latente de inúmeras pessoas que aguardam na fila por um transplante.

 

A medula óssea fica no interior dos ossos e contém as células-tronco hematopoéticas que produzem os componentes do sangue, incluindo as hemácias ou glóbulos vermelhos, os leucócitos ou glóbulos brancos, que são parte do sistema de defesa do nosso organismo, e as plaquetas, responsáveis pela coagulação.

 

A chance de se encontrar no Brasil uma medula óssea compatível com a de outra pessoa que não é da mesma família é de 1 em 100 mil, mas pode ser 1 em 1 milhão, se tiver que procurar em outros países. Por isso, a doação de medula óssea deve fazer parte da nossa cultura, todos os possíveis candidatos devem doar.

 

Apenas de 25% a 30% dos pacientes que precisam de transplante de medula óssea encontram o doador ideal no núcleo familiar. O restante depende, integralmente, de parentes parcialmente compatíveis ou de doadores voluntários.

 

Por meio de uma nova portaria do Ministério da Saúde, que entrou em vigor em junho deste ano, o limite de idade no cadastro do banco nacional foi alterado de 55 anos para apenas 35. As outras condições continuam as mesmas, as pessoas precisam ter boas condições de saúde, sem doenças neoplásicas, hematológicas ou infecciosas, ter de 18 a 35 anos.

 

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer), atualmente, em média, 850 pacientes estão em busca de um doador fora do núcleo familiar.

 

Para saber se o doador é compatível, são realizados testes de sangue, chamados de exames de histocompatibilidade (HLA). Caso não existam doadores entre os parentes, então começa a tão árdua e significativa busca por voluntários.

 

Seja um doador! Ser um doador de medula é fácil, indolor e não faz mal à saúde.

 

Você deve realizar o cadastro no hemocentro mais próximo de sua casa, onde será feita a coleta de uma amostra de sangue com 5ml para fazer o exame HLA (Antígenos Leucocitário Humano) que irá determinar as características genéticas necessárias para a compatibilidade entre o doador e o paciente. O tipo de HLA será cadastrado no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome), vinculado ao Instituto Nacional de Câncer (Inca). Esses dados serão inseridos no Redome, mas esses devem estar sempre atualizados para facilitar a localização do doador.

 

Quando houver um paciente com possível compatibilidade, o doador é contatado. O voluntário doa, no máximo, 10% de sua medula, que se recompõe em 15 dias e o material pode ser enviado para o paciente na mesma cidade, no país ou até fora do Brasil. Quando se encontra o doador e se confirma a compatibilidade, o processo passa a ser rápido. O que, de fato, demora é encontrar o doador, por isso, quanto mais pessoas cadastradas, mais chances de encontrar.

 

Em geral, recomenda-se que uma segunda doação ocorra somente após seis meses da primeira e, de preferência, utilizando um método de coleta distinto.

 

Aproveitando a oportunidade, não deixe de ler as histórias de algumas pessoas que já doaram, mais de uma vez.

 

“Paraibano doa medula óssea pela 2ª vez em 4 anos: ‘Desejo que mais pessoas consigam salvar vidas’ | Paraíba | G1″ https://g1.globo.com/google/amp/pb/paraiba/noticia/2019/09/21/paraibano-doa-medula-ossea-pela-2a-vez-em-4-anos-desejo-que-mais-pessoas-consigam-salvar-vidas.ghtml

 

“Piauiense doa medula óssea duas vezes em 3 meses para mesma pessoa e vira ‘Super Doador‘ | Piauí | G1″ https://g1.globo.com/google/amp/pi/piaui/noticia/2020/09/19/piauiense-doa-medula-ossea-duas-vezes-em-3-meses-para-mesma-pessoa-e-vira-super-doador.ghtml

 

Hemocentro Regional de Juiz de Fora – Hemominas

Rua Barão de Cataguases, S/N – Santa Helena, Juiz de Fora – MG

Telefones: (32) 3257-3100/(32) 3216-3000

 

Cadastro Redome

https://www.mg.gov.br/servico/cadastrar-se-como-candidato-doacao-de-medula-ossea

 

Por Melissa Martins

Agente na Formação Cristã

Colégio dos Jesuítas incentiva doação de sangue

Devido à pandemia, o Hemocentro Regional de Juiz de Fora está em estado de alerta por conta do baixo número de doadores de sangue. Desse modo, comprometidos com a causa social, o Colégio dos Jesuítas incentiva que sua comunidade educativa abrace o apelo e contribua para o aumento do estoque de sangue da instituição, seja por meio de divulgação da situação ou através da doação de sangue.

 

Confira as orientações para ser um doador de sangue

 

  • Fazer agendamento prévio pelo site do Hemominas ou pelo aplicativo MG app.
  • Pode ser doador quem tiver entre 16 e 69 anos de idade.
  • Os jovens, de 16 e 17 anos, podem doar acompanhados pelo responsável legal, que deverá apresentar um documento e identidade e assinar a autorização no local de doação. Se desacompanhado, o adolescente deverá apresentar os seguintes documentos do responsável legal: autorização preenchida e assinada e a fotocópia do mesmo documento de identidade constante na autorização.
  • Quem já doou, deve observar o prazo entre doações de sangue. Homens: 60 dias e até 4 vezes por ano; Mulheres: 90 dias e até 3 vezes por ano.
  • Se você está com sintomas de gripe/resfriado, como: tosse, febre, coriza, dor de garganta, não doe sangue agora. É necessário aguardar 30 dias após o término dos sintomas para candidatar-se à doação de sangue.

Fique tranquilo! O Hemocentro está seguindo todos os protocolos de saúde para que você doe sangue com segurança!

 

Compartilhe essa causa!